Cuidados com o coração – Saiba quais são!

Data: 30/11/2020 - Saúde Cardiovascular

Quais são os cuidados com o coração? Algumas rotinas simples podem ajudar para manter seu coração saudável.

Atividade física. Recomendamos caminhar pelo menos 30 minutos diários em ritmo moderado, natação, ciclismo.


Dieta. É necessário reduzir a quantidade de gorduras animais, açúcar e sal de cozinha. É importante diminuir ainda os chamados carboidratos rápidos na dieta (assados, doces, massas, fast food), aumentar o consumo de cereais, verduras frescas e frutas. É recomendável comer peixes do mar pelo menos três vezes por semana. 


Diminuição do peso corporal (índice de massa corporal 18-25), diminuição da circunferência abdominal (menos de 94 cm para homens e 80 cm para mulheres).


Controle da pressão arterial. Se for alterada, é necessária uma ingestão medicamentos de uso contínuo, que serão prescritos pelo médico.


Controle dos níveis de açúcar, especial atenção à presença de hereditariedade (presença de diabetes em parentes).



Cuidados com o coração incluem um ambiente emocional amigável


Muitas vezes o fator neuropsíquico é o mecanismo desencadeador da doença isquêmica do coração. Portanto, um contexto emocional favorável e benevolente é um meio poderoso de prevenir doenças coronárias. Isso também se aplica às relações familiares e às emoções que uma pessoa experimenta no trabalho, entre outros.


Adote esses cuidados com o coração


A prevenção é o segredo para o coração saudável, pensando nisso separei as melhores dicas para manter um coração saudável. 


Vida nova requer mudanças de hábitos, nesse sentido reduza o:


Estresse e ansiedade, alguns estudos mostram que sintomas de estresse juntamente com ansiedade fazem o coração bater mais rápido, triplicando a chance de acontecer um AVC – Acidente Vascular Cerebral.


Vícios, os vícios negativos são inimigos do corpo como um todo, principalmente para o coração. Comece hoje mesmo a manter os cuidados com o coração, e abandonar os vícios se quiser viver mais e com saúde. 


Sal, quando em excesso desestrutura os vases sanguíneos provocando sérios problemas para o bom andamento do organismo, podemos citar o aumento da pressão arterial, e ainda prejudica o bom funcionamento dos rins.


Gorduras, um dos principais cuidados com o coração é diminuir a ingestão de gorduras, essas gorduras se acumulam em placas e obstruem a passagem do sangue. 


Sem falar no colesterol LDL, o que em excesso é ruim, ele atrapalha todo o fluxo sanguíneo, sendo um perigo para que um infarto aconteça. 



Um coração saudável pode lidar com qualquer coisa


Alguns dos efeitos das doenças cardiovasculares são irreversíveis. Após ataques cardíacos graves, formam-se cicatrizes porque o coração não recebe fluxo sanguíneo adequado. 


Quanto mais rápido for o socorro ao paciente, mais viável a função cardíaca permanecerá e menos significativo será o dano ao músculo cardíaco.


A função cardíaca normal é garantia de longevidade e se resume em prevenir danos. Mesmo nos casos em que os ataques cardíacos deixaram cicatrizes, se o coração for forte, as pessoas sobrevivem. 


Ou seja, além de eliminar as consequências das doenças cardiovasculares graves, é importante abordar a causa raiz da fraqueza do coração e trabalhar para eliminá-la. Um estilo de vida saudável, exercícios e controle da pressão arterial continuam sendo fundamentais para manter os cuidados com o coração.



Alimentação: seguindo o exemplo dos centenários

Vale a pena citar o exemplo de povos longevos, como a população de algumas ilhas gregas do Mediterrâneo. Eles consomem azeite de oliva e tomates da horta em vez de fast food e alimentos processados. 


Os exercícios e a dieta mediterrânea estão frequentemente associados à longevidade. Existem também algumas regiões do Japão, como Okinawa, onde há centenários. Comem peixes e produtos naturais da horta, caminham muito em áreas montanhosas, não fumam nem bebem álcool. 


Você precisa olhar atentamente para essas pessoas e aprender com elas, e então adaptar sua dieta ao seu gosto. Basicamente, isso significa cortar pão, macarrão, batata, arroz, carne e gordura saturada. 


Conflito de estresse

O estresse tem um grande impacto no coração como dito anteriormente. Quando as pessoas estão nervosas, a liberação de adrenalina aumenta o risco de ruptura das plaquetas, o que leva à toxicidade, o que afeta a saúde do sistema cardiovascular. 

O estresse também pode levar a arritmias - batimento cardíaco irregular. Pesquisas mostram que reduzir os níveis de estresse leva a um risco menor de doenças cardiovasculares.


A vida está cheia de turbulência. Você precisa encontrar um equilíbrio ideal entre estresse aceitável e estresse inaceitável. 


O hábito de se exercitar

Acostumar-se a um estilo de vida saudável desde o início ajudará você a correr menos riscos de doenças cardíacas no futuro. O hábito de se exercitar por 10 minutos por dia reduz o risco em 50%, e se você dedicar meia hora a isso, o risco é reduzido em 75%.


Com a idade, quando você não quiser mais sobrecarregar o coração, é melhor manter a frequência cardíaca em 65-75% do máximo por 20 minutos, se possível. Esses exercícios também são muito benéficos para o cérebro. 


Afinal, o sistema vascular com todas as artérias é uma árvore, o que acontece com o coração e os vasos sanguíneos afeta diretamente o cérebro. Precisamos perceber o coração não como um órgão que examinamos, mas entender que na verdade cuidamos do nosso cérebro.



O problema é global, mas há perspectivas

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo: são 17,9 milhões de pessoas todos os anos e, em 2030, o número pode aumentar para 24 milhões. 


Globalmente, os países de renda baixa e média baixa estão se tornando os principais alvos das doenças cardiovasculares. 

E para esses países, este é um grande choque econômico, quando a força de trabalho sofre de doenças as pessoas adoecem, sua produtividade cai e é necessário dinheiro para ajudá-las. 


Há uma melhora acentuada na situação das doenças não transmissíveis em todo o mundo, mas precisamos de abordagens inovadoras para conseguir isso.


Embora a cobertura de doenças cardiovasculares esteja se expandindo, o número de ataques e mortes está diminuindo gradativamente. Agora, as doenças são encontradas em mais pessoas, mas com é possível aumentar a sobrevivência controlando a pressão arterial, parando de fumar e diminuindo o nível de colesterol ruim por meio de medicamentos. 


Embora as estatísticas de câncer tenham permanecido praticamente as mesmas, houve um grande avanço no tratamento de doenças cardiovasculares graças à pesquisa médica, avanços na farmacologia e redução de risco.


Sandra Bonfanti

Farmacêutica