Como chapar a barriga

Data: 21/02/2022

Como é difícil hein, não é uma tarefa nada fácil...acredito que, mais da metade da população do mundo quer perder um pouquinho da gordura abdominal, e como fazer isso? Continue lendo que passarei algumas dicas valiosas para vocês ;)

Segundo a OMS, Organização Mundial da Saúde, a obesidade no mundo vem aumentando cada vez mais, poderíamos dizer que vem triplicando ano após ano.


A obesidade abdominal é considerada um fator de risco para diversas morbidades, tais como doenças cardiovasculares, diabetes mellitus, e alguns tipos de cânceres.


E como sempre, sobra para nós mulheres. No Brasil 40% da população apresenta     o IMC maior que 25kg por metro quadrado e 13,1% são mulheres, ou seja, um terço da população do país.

A proeminência dessa região abdominal deve-se a dietas hipercalóricas, alimentos gordurosos, ingestão de muito doces e massas que elevam o índice glicêmico.


E como todos nós já sabemos, não existe tratamentos milagrosos meus caros leitores, então vamos lá para essas dicas:

A primeira delas, e não poderia ser diferente, é a dieta. Para queimar gordura, seja ela do abdômen ou qualquer outra parte do corpo, necessitamos ingerir menos calorias do que as consumimos.


É muito interessante que se siga um programa alimentar, pois não é apenas parar de comer, e sim, comer saudável. Nosso organismo necessita de nutrientes, fibras e antioxidantes para se manter em homeostasia. Então procure um profissional que possa te ajudar neste quesito, sejam eles médicos ou nutricionistas.


A segunda delas é associar a alimentação saudável a uma atividade física, sim, para perder aquela temida barriguinha, precisamos aumentar a nossa queima calórica.


Exercícios aeróbicos sempre são uma ótima escolha, seja uma caminhada ou uma corrida, fazem com que acelere seu metabolismo, estimulando a queima de gordura. Além de ativar diversos músculos promovendo resistência muscular e melhorando também a capacidade cardiorrespiratória.

Exercícios localizados também são uma ótima escolha, como os abdominais, pois fortalecem a musculatura da região.

E por fim, podemos estar associando alguns suplementos que serão um forte aliado nessa luta para ter aquela barriguinha tão desejada.





Suplementos termogênicos, aceleram as reações metabólicas do organismo, elevando a temperatura corporal e o gasto calórico basal. Segue alguns exemplos:


Chá verde – possui ação antioxidante estimulando a queima de gordura, aumenta a saciedade.


Capsiate Atua no aumento da termogênese e no consumo de energia corporal, melhora o metabolismo energético do corpo e reduz o acúmulo de gordura visceral.


Cafeína - fornece energia e aumenta o metabolismo, fazendo-o utilizar as reservas energéticas para produzir energia com mais eficiência.


Ioimbina – utiliza a gordura como fonte de energia, estimula a lipólise causando redução de gordura local.






E alguns suplementos que agem em gorduras localizadas:


Meratrim - proporciona a quebra da gordura existente (lipólise) e diminui a produção de gordura (adipogênese). Age tanto evitando o acumulo de gordura, quanto na queima da gordura existente.


Morosil -  promovendo uma redução acentuada no tamanho das células de gordura pela diminuição do acúmulo de lipídeos no abdômen, reduzindo a circunferência abdominal.


Modulip – promove a queima e a quebra de gorduras no organismo por mecanismos neurais através do estímulo da lipólise (degradação da gordura).




E por fim, antes de se medicar procure um profissional habilitado e tire todas as suas dúvidas, os farmacêuticos também podem e devem trazer estas orientações, tendo em de acordo com a Resolução 586/2013 do Conselho de Farmácia.

 




ONDE COMPRAR?


Na farmácia de manipulação BIOFASE (Loja física e virtual) você pode encontrar o medicamento floral que melhor atende suas necessidades.


Confira os produtos manipulados na categoria Emagrecedores Biofase | Manipulados de Qualidade

e encontre o que você precisa.



Referencias:

PINHO, Claudia Porto Sabino; et al. Prevalência e fatores associados à obesidade abdominal em indivíduos na faixa etária de 25 a 59 anos do Estado de Pernambuco, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 2013.



Sandra Bonfanti

Farmacêutica