A importância da medicina tradicional e da medicina natural

Data: 12/05/2021 | Farmácia de Manipulação

A medicina natural e a medicina tradicional vêm promovendo nos últimos anos o estudo de um setor que não era considerado pela cultura ocidental. Porém, se levarmos em consideração a linha do tempo na história da humanidade, estamos nos referindo a terapias milenares. Leia aqui!

A importância da medicina tradicional e da medicina natural

Levando em consideração essa linha do tempo, estamos nos referindo a terapias milenares, por isso estaremos falando de terapias que muito têm a contribuir para a qualidade de vida e saúde das pessoas nas diferentes doenças e patologias, situação a que nos últimos tempos a Organização Mundial da Saúde (OMS), vem atribuindo o reconhecimento e a importância que correspondem a estas antigas disciplinas.


Como mencionamos no parágrafo anterior, a OMS não só está reconhecendo a importância das chamadas terapias tradicionais e seu alcance global, mas para promover seu estudo criou um Escritório de Medicamentos Tradicionais, devido ao pouco ou nenhum reconhecimento (normativas ou regulamentares) pelos países membros da referida Organização, principalmente pelos países ocidentais.


Destacando o papel ativo da OMS na promoção da medicina tradicional, emitiu um documento intitulado Estratégia da OMS sobre Medicina Tradicional 2014-2023 , na convicção da importância de incorporar os chamados sistemas públicos de saúde aos medicamentos tradicionais e medicamentos complementares, como uma possível solução para os problemas de saúde vividos em alguns países devido à falta de acessibilidade aos cuidados médicos e, eventualmente, ao tratamento farmacológico que a população pode necessitar.


Também, como base, o aumento crescente das doenças crônicas é a base mais urgente para fortalecer a colaboração e interação entre os setores da medicina convencional e da medicina tradicional, a fim de melhorar a qualidade de vida dos pacientes e aumentar sua expectativa de vida.


Se levarmos em conta a realidade de outros países, principalmente daqueles que possuem uma herança milenar, as pessoas dependem de algum tipo de medicina tradicional (medicina ayurveda, medicina tradicional chinesa, medicina tradicional árabe, etc.) porque são utilizadas para tratar as necessidades na atenção primária à saúde que por motivos culturais (principalmente) e econômicos são utilizados há séculos e seus conhecimentos são transmitidos de forma ancestral. 


Além dessa realidade cultural, nas últimas décadas a medicina tradicional, e suas diversas disciplinas associadas, têm ganhado prestígio em todo o mundo, tanto por sua eficácia clínica contra doenças crônicas, quanto pelos elevados custos para o sistema de saúde para fazer face aos seus custos.


É também importante ter em consideração que as diferentes disciplinas e técnicas da Medicina Tradicional (independentemente do seu país de origem), abrangem quase todas as doenças e patologias existentes, com os respectivos estudos, semiologia e terapias para o seu tratamento.



Algumas Definições


Em seguida, procederemos à transcrição de algumas definições a fim de unificar os critérios dos diferentes termos que são usados ​​para se referir a essas terapias, termos esses que foram extraídos das Diretrizes Gerais para Metodologias de Pesquisa e Avaliação em Medicina Tradicional, definições que são utilizadas pela OMS com o objetivo de estabelecer o seu programa estratégico.



Medicina tradicional

Medicina tradicional é todo o conjunto de conhecimentos, habilidades e práticas baseadas em teorias, crenças e experiências indígenas de diferentes culturas, sejam elas explicáveis ​​ou não, utilizadas para a manutenção da saúde, bem como para a prevenção, diagnóstico, melhoria ou tratamento de doenças físicas ou mentais



Medicina complementar / alternativa

Os termos "medicina complementar" e "medicina alternativa", usados ​​indistintamente com "medicina tradicional" em alguns países, referem-se a um amplo conjunto de práticas de saúde que não fazem parte da tradição do próprio país e não estão integradas ao sistema.



Medicamentos fitoterápicos